segunda-feira, 17 de dezembro de 2007

Quando os olhos atraiçoam…

Camaradas e amigos: é bom termos pessoas de quem gostamos e que também gostam de nós.

Vem, isto, a propósito da leitura de algumas palavras inseridas nos textos do nosso ainda jovem blogue, que me sensibilizaram e me fizeram correr uma lágrima de emoção. Não sei o que se passa comigo pois estou a ficar um bocado chorão demais para o meu gosto mas, como a idade tem as costas largas, cá me vou reconfortando com a ideia que talvez seja do peso dos anos. Mas é muito bom ler palavras despidas de interesses: políticos, religiosos ou clubistas (tal como acontece com a orientação da nossa Associação de Fuzileiros), cuja única razão de ser é, tão só, o facto de quem passou pelos fuzileiros ficar, na sua maioria, infectados com um vírus, de tal forma poderoso, que não há antibiótico que lhe dê luta.

Esta será certamente, uma forma de falar de coisas tão específicas que por vezes nem os psicólogos têm forma de contornar. A terapia de grupo pode funcionar, também, desta forma e sem custos para o erário público!

Eu peço desculpa mas estarei eu a delirar? Porque afinal, queremos um blogue que funcione para todos os que tenham ou não, feito a guerra e mesmo para os amigos que queiram estar connosco, mesmo que não tenham sido militares. Porque essas boas almas, talvez fiquem a entender melhor os homens e mulheres, vítimas de um conjunto de sem razões.

Espero que sirva para alguma coisa, para mim já serviu para atenuar o meu estado de espírito porque já desceu para níveis mais controláveis.

Aquele abraço!

Mário Manso

5 comentários:

Vitor Costeira disse...

Dizem que os olhos são o espelho da alma! As pessoas leais, quando choram, chora, também, a alma: pode ser de alegria, de tristeza ou de saudade...
Acho que o que vale a pena é mesmo chorar; porque faz bem, alivia e é prova de estarmos vivos!
Continua, Mário!

Mário Manso disse...

Vale mesmo a pena chorar, quando não é por alguém que parte, e que nada conseguimos fazer para o trazer de volta ao nosso convívio. Mas quando as lágrimas acontecem porque sabemos ter amigos, para os quais nos parece, nada termos feito para os conquistarmos, acaba por ser um reconfortante suplemento alimentar, para o nosso espírito. E tu, VÍTOR, tens sido um, com uma particularidade especial. Por tudo o que não fica dito, palavras para quê! ÉS FUZILEIRO e, ESPECIAL.
Aquele abraço.

Gabriel disse...

Permitam-me entrar por este post, para que, de uma maneira muito simples, deixe os meus melhores votos de felicidade nesta quadra de natal de 2007 para toda a família de fuzileiros.
Daqui de MAPUTO vai o calor da amizade para todos quantos o queiram abraçar ..

Abraço e até ao meu regresso.

B.M

Mário Manso disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Vítor Costeira disse...

Feliz quadra natalícia para o Gabriel e respectiva Família, de um FZ de 77!